Release

DOS PRIMEIROS PASSOS AS MAIS NOVA INVENÇÕES

Infância

Aos sete anos o paulistano, Wilson Alves, já se aventurava em pequenas construções.

“A primeira que lembro, pela ambição que tinha não pelo bem sucedido, era uma caixinha de projetar imagens” recorda.

Incomodava marceneiros e mecânicos parava fazer carrinho de rolimã e aos quatorze anos cismou que seria arquiteto.

Ainda no colegial, Will, como hoje é conhecido, abandonou a escola para fazer cursos de arte.

Mesmo antes de ingressar na FAU-USP, em 72, já tinha projetos executados para alguns clientes e ganhava o suficiente para se manter.

Faculdade

Na oficina da faculdade nasceram as primeiras esculturas com o auxílio de máquinas e a experiência o levou a cursar a Escola Brasil. Em 1975, concorreu com 99 artistas brasileiros, entre estes alguns de seus mestres, e ganhou o primeiro prêmio no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro. Continue reading

WILSON “WILL” ALVES: ANTES DE TUDO, UM ARTISTA.

Conheça a trajetória do proprietário da Will Arte, um aficionado por invenções.

Os produtos da Will Arte não são obras do acaso – eles vêm da imaginação e da linguagem construtiva do arquiteto Wilson “Will” Alves.

Quando se formou pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (FAU-USP), em 1979, Will já tinha um caminho percorrido no âmbito artístico. Paralelamente à faculdade, onde ingressou em 1972, cursou a Escola Brasil.

Discípulo

Lá, em troca de uma bolsa de estudos, foi assistente do artista plástico Luiz Paulo Baravelli, um dos fundadores desta instituição revolucionária e coordenador da oficina de madeira e metal.

Apesar de ter funcionado durante apenas cinco anos, a Escola Brasil foi um marco no ensino das artes plásticas.

Os dirigentes da instituição condenavam o aprendizado técnico-formal e, ao mesmo tempo, propunham o desenvolvimento criativo dos alunos. Continue reading

WILL ARTE ULTRAPASSA OS LIMITES DA TECNOLOGIA JAPONESA

Superando cada etapa

A dilatação e retração da madeira é um dilema na confecção das banheiras de ofurô, mas, para o arquiteto Wilson Will esta etapa foi superada.

Há cinco anos ele vem produzindo e desenvolvendo Tinas com tão depurada técnica que alcançou o inusitado: as Tinas Will são resistentes a longos períodos de ressecamento graças ao seu alto rigor construtivo.

Tinas secas

No Japão, país que originou o ofurô, as tinas precisam estar sempre com água para manter a madeira dilatada, do contrário elas secam, contraem e as juntas se esgarçam provocando vazamentos.

Para os ocidentais sair de viagem e deixar a água parada na banheira não é agradável, nem higiênico.

As Tinas Will, desenvolvidas com uma das mais perfeitas habilidades de produção de ofurô do mundo, suportam a ausência da umidade. Continue reading

A SIMPLICIDADE DO FORMATO REDONDO TRADUZINDO O PRAZER DO BANHO

O encanto das tinas redondas

As Tinas Will redondas podem ser encontradas em vários diâmetros na Will Arte.

O maior tamanho é de 1,90 cm mais recomendada para clinicas geriátricas e a menor com 82 cm de diâmetro para uso individual.

Apelidada carinhosamente de Mignon, que na tradução francesa quer dizer pequena, a Tina Will de 82 cm é a menor redonda ergonomicamente possível para o banho de imersão total, ela comporta 200 litros de água.

Pleno conforto

E proporciona pleno conforto para uma pessoa de até 1,83 de altura, isso porque, o tamanho do próprio artífice Will, é usado como referencia para a confecção das tinas.

“É a menor tina que eu consigo uma boa imersão total e me permite isso com algum conforto” garante Will. Continue reading

TAMANHOS E FORMATOS PARA TODOS OS GOSTOS E ESPAÇOS

Onde instalar?

Desenvolvidas com rigoroso controle de qualidade e total conforto ergonômico, as Tinas Will se encaixam, perfeitamente, em qualquer ambiente.

Diante do desafio de criar tinas para espaços com diferentes tamanhos sem abrir mão do pleno conforto no ato do banho, Wilson Will desenvolveu mais de 40 possibilidades.

Basta escolher

Que agradam tanto o consumidor proprietário de um pequeno apartamento no centro da cidade, quanto ao fazendeiro do interior que pretende desfrutar ainda mais das belezas do meio ambiente.

As Tinas Will são ovais ou redondas, com diversos desenhos e tamanhos.

A maior delas tem 1,90m de diâmetro por 1m de altura e comporta até nove adultos, com sobra.

A descendência das tinas altas está ligada à história da década de 50, quando os primeiros japoneses chegaram ao Brasil. Continue reading

WILL ARTE INVESTE NA TINA IDEAL

Diversos tamanhos

As Tinas Will ovais foram planejadas para atender necessidades distintas.

São doze tamanhos que valorizam e preenchem, com perfeição, ambientes retangulares.

A caçula pode ocupar o espaço convencional do box de chuveiro, e as peças de luxo oferecem benefícios que vão além do banho.

Perfeição

Perfeccionista imoderado, Wilson Will Alves, detêm total domínio sobre a madeira e esbanjou ousadia ao projetar as tinas ovais com dimensões do próprio usuário, para possibilitar o alongamento isométrico da musculatura posterior das pernas garantindo pleno o conforto físico e holístico durante o banho.

“Quando se trata de um casal, e um é mais alto, inventei um tamanco para que a pessoa mais baixa tenha esse contato isométrico” explica o artífice, e “na água, sem a ação da gravidade, o alongamento beneficia ainda mais a coluna, os órgãos, a alma e o próprio espírito, depurando os sentidos e fortalecendo o ânimo”. Continue reading

VIAGEM À LUA SEM CONTAGEM REGRESSIVA

Quem nunca sonhou em viajar para a lua?

Flutuar livremente, deixando que a falta de gravidade se encarregue do seu peso corporal e emocional?

Sentir-se distante dos problemas cotidianos, do tempo, vivendo momentaneamente num cosmo particular?

Num banho de ofurô

Um passeio lúdico como este parece que só está ao alcance da Nasa, ou impresso nas páginas dos livros de Saint-Exupéry, mas na Will Arte, em São Paulo, o sonho coincide com a realidade permitindo que a mesma sensação de leveza seja usufruída quando e onde se desejar, através dos Banhos de Ofurô.

“Por estar imerso na água o corpo se isenta da ação da gravidade, promovendo a expansão e leveza do organismo.

Mente e espírito se gratificam com o banho, que passa a ser quase uma terapia, daí a relação com uma pequena viagem a lua” esclarece Will.

Continue reading

O INVERNO ESTÁ CHEGANDO!

É quase instantâneo lembrar de chocolate quente, filme com pipoca sob as cobertas, fondue, queijinho na lareira, vinho quente e tudo que há de mais romântico e acolhedor.

O objetivo é aquecer, e uma boa opção para isso são os banhos de ofurô nas Tinas Will.

O segredo dos banhos quentes:

A própria madeira combinada com o formato das tinas conserva a temperatura da água do banho.

As tinas redondas, por exemplo, são compactas e quanto mais próximo dessa geometria com menos superfície exposta, mais a temperatura se mantém, sendo quente ou fria.

A profundidade também interfere.

O desempenho da tina está agregado ao seu design, ela não deve ser plana, rasa e longa como um espelho d`água. Continue reading

A TERAPIA DO OFURÔ

Banhos

São inúmeras as possibilidades de banhos numa tina de ofurô: imersão, fricção, assento, escalda-pés, que podem ou não estar combinados com ervas, flores e temperos.

A terapia do ofurô vai além do fator higiene, ela equilibra e renova as energias vitais do corpo, age na prevenção e cura de doenças, e rejuvenesce.

Sagrado

Assim os descritivos mais antigos da cultura japonesa rotulam o ato do ofurô.

Foi durante o primeiro momento de purificação com água, que um casal de deuses mitológicos gerou a padroeira e ancestral da linhagem imperial do Japão, a deusa Amaterassu.

E com respeito divino, a ação de banhar-se virou tradição da beleza japonesa, agregando ao ritual cuidados com o corpo, relaxamento mental e a renovação espiritual. Continue reading

NAMORADEIRA DA WILL ARTE PARA O DIA DOS NAMORADOS

Aos casais solteiros, casados e apaixonados; Para os namoros recentes ou aos eternos namorados; Às pessoas que transformam pequenos instantes em grandes momentos; A Will Arte tem o presente perfeito.

Namoradeira

A Namoradeira Will é o ofurô para casais que compartilham a passagem dos anos.

É resistente e confortável aos casais no auge da paixão propiciando o namoro.

Acolhedora para o casal e seus filhos pequenos.

Mantém a água quentinha possibilitando banhos prolongados com direito a bate-papo ou troca de carícias.

E pode ser usada por décadas, inicialmente pelo casal se estendendo às novas gerações da família.

Redonda ou Oval a Namoradeira recebeu esta denominação porque é desenvolvida especialmente para o uso do casal, mas não impede o uso individual. Continue reading

WILL ARTE LANÇA LINHA DE OFURÔ PARA BEBÊ

Ofurô bebê: design gracioso e anatomia perfeita

A partir de junho a Will Arte disponibilizará a linha de ofurôs para bebê.

Seguindo o dito popular “tal pai, tal filho” nasceu o menor integrante da família das Tinas Will.

Em formatos redondos e ovais o Ofurô Will Bebê segue a linguagem construtiva das grandes banheiras e sustenta as mesmas vantagens. Continue reading

USANDO UMA ESSÊNCIA E ABUSANDO DA CRIATIVIDADE

Criatividade em foco

Os tapetes, biombos e as tampas de tinas da Will Arte seguem o mesmo princípio construtivo, na parte superior apresentam as madeiras emparelhadas, e na inferior o couro náutico antifúngico colado com produtos de alta performance.

Além de serem frutos do repertório criativo de Wilson Will, os produtos também decorrem da mesma técnica e matéria-prima.

Dinâmico

É o dinamismo no design, planejado pelo arquiteto, que difere a funcionalidade de cada artefato.

A formação acadêmica da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo, comprometida com a ciência da ergonomia e somada a experiência adquirida pela confecção das tinas, permitiu que Will gerasse os descendentes do casamento da madeira com o couro náutico.

E tal qual uma família, cada personagem tem sua própria característica.

Há quatro anos, os tapetes de madeira passaram a complementar as saídas das tinas. Continue reading

SABONETEIRAS QUE MANTÉM O SABONETE SECO

Num ato de reverência a matéria-prima eleita para dar vida a suas criações, Wilson Will aderiu novamente ao processo de reciclar as sobras de madeira das tinas.

As pequenas ripas que elimina para o encaixe preciso do ofurô incentivaram o arquiteto a reinventar a saboneteira, agora, com a missão de manter o sabonete seco.

Depois de algumas sequências de possibilidades, Will concluiu o primeiro esqueleto da saboneteira.

Toda em madeira, desde a base ao acabamento, este modelo já manteria o sabonete distante da água, e permitiria a limpeza entre as réguas.

Mas, Will permanecia inquieto e não se convenceu apenas com esta estrutura.

Avanço

Entre a confecção de uma tina e outra, ia amadurecendo seu invento.

Foi explorando a linguagem construtiva das tampas de tinas, tapetes e biombos que Will desenvolveu o último modelo da saboneteira seca.

Na base, o couro náutico antifúngico garante a durabilidade, e na superfície as réguas de madeira emparelhadas sustentam o sabonete distante da água.

Nesta versão, a flexibilidade simplificou a limpeza, e o design ganhou um atrativo lúdico ao encaixar umas nas outras. Continue reading

A NATUREZA EM PROL DA COZINHA

O cepo

É uma tábua de corte que não desgasta o fio das facas. Cortada transversalmente a madeira maciça não solta fragmentos, garante a durabilidade, preservando a higiene durante a manipulação dos alimentos. A superfície lisa, com polimento ultrafino e semi-impermeável favorece a limpeza.

Idealizado para atender as necessidades de Chefs e Gourmets, por diminuir as necessidades de afiação de suas preciosas das facas, os cepos passaram a integrar, também, os utensílios das donas de casa, e fascinam os churrasqueiros de fim de semana. O arquiteto, Wilson Will, mestre na manipulação da madeira seleciona a dedo a matéria-prima, buscando na forma orgânica da natureza a valorização do design singular.

Continue reading

WILL ARTE COMPLEMENTA A TRADIÇÃO BRASILEIRA DE PÔR A MESA

Bandeja Giratória

Na Grécia antiga os gregos comiam deitados de lado e apoiados sobre o cotovelo. Com o passar do tempo, utensílios culinários se tornaram essenciais para algumas culturas, como o hashi aos asiáticos e os talheres aos ocidentais, embora, os marroquinos e árabes ainda utilizem as mãos para comer.

A arte de servir tem traduzido o modo de vida das pessoas ao longo da história. No Brasil, distante da clássica convenção francesa e mais informal que o serviço à americana, todos se sentam à mesa e a comida é servida em travessas e terrinas para que as pessoas montem o próprio prato. Muito prático, mas, nem sempre confortável.

Continue reading