Manutenção das tinas…

“A manutenção do dia-dia sendo feita adequadamente não precisa, eu diria nada, de manutenção.

Basta cuidar da tina com a higiene necessária

. A água do banho tem várias impurezas, desde as visíveis: cabelos, ervas e epidermes (aqueles pontinhos brancos procedentes a escamação da pele que é renovada), até as toxinas invisíveis. Ao drenar a água as impurezas – que em geral flutuam – se depositam nas paredes das tinas. É muito pertinente e importante, passar uma toalha úmida nas paredes da tina após esvaziá-la.

Essa manutenção é muito simples e fácil, requer o mínimo de desempenho já que sua superfície é lisa e ultrapolida.

O Mínimo

Sem a limpeza depois do banho, as impurezas instaladas nas paredes voltarão com a próxima água.

Quando o uso de óleos aromáticos for excessivo, ela pode ficar gordurosa e escorregadia.

A sensação escorregadia é um sintoma de que ela precisa de limpeza.

E, caso a toalha não foi passada depois do último banho as impurezas podem secar nas paredes.

Nestas situações é necessário usar uma esponja abrasiva apropriada para ofurô que segue em cortesia junto a cada tina, assim a limpeza estará garantida.”

Visão do construtor