Receitas para a Conquista da Água Fria

Fricção

1- A fricção abdominal com a toalha molhada fria prepara-nos psicológica e fisicamente para a imersão na água fria.

Por seu poder terapêutico constitui um verdadeiro patrimônio para a saúde (Livro: Louis Kuhne/ Cura Pela Água).

2- O banho quente deve ser quase sempre finalizado pela ducha de água fria.

Especialmente se quisermos despertar.

Ao enxugar, o calor interno que aflora à pele constitui fonte de imenso prazer.

Se não por cultivo à saúde, por puro hedonismo valerá a pena.

3- Se a água na banheira estiver fria, a ducha quente nos prepara para uma primeira imersão rápida, mesmo que parcial.

A volta ao chuveiro quente ajuda a avançar mais um pouquinho.

E pela alternância quente-frio, chegamos a conquistar a consciência do prazer e saúde que a água fria nos proporciona.

É como quem aprende a andar de bicicleta e nunca mais esquece.

As cachoeiras do mundo, o mar gelado e os chuveiros durante algum “apagão” nos estarão disponíveis sempre, se conquistarmos seu território.

4- O contato da água fria, para aqueles que iniciam-se nessa “arte” pode ser facilitado molhando antes o rosto, abdome e atrás dos joelhos.