Depoimentos Will

Dicas do Will sobre suas criações…

Bonitas por dentro e por fora

Todas as tinas são em madeira maciça e cristalizadas no exterior para permanecem bonitas por muitos anos.

A diferença entre a tina com cristalização integral e a parcial está no tempo que leva para apresentar alterações visuais do interior.

Madeira pura

A cristalizada vai retardar a ação diluente da água, e demorar muito mais para apresentar coloração acinzentada na superfície da madeira.

O custo da cristalização integral vai depender do tamanho da tina.

Visão do construtor

Sempre quentinhas…

As Tinas Will são confeccionadas em madeira, que por sua vez conservam a temperatura da água do banho.

Numa situação onde o clima é predominante de baixas temperaturas, elas são indispensáveis.

No Japão, local de origem das tinas, a neve não impede o desfrutar dos banhos, as pessoas podem ficar horas na tina sem o incômodo da água esfriar.

O depoimento do artífice

Will: o esclarecimento fica completo: “Uma tina de porte médio-pequeno, durante o uso, perde um grau por hora, sem estar em uso e com a tampa perde 0,5 grau por hora.

Quanto maior a tina menos ainda ela perde, uma tina para quatro pessoas vai perder 0,5º a cada 2 horas.

Nunca vai ter o incômodo da água esfriar enquanto você estiver no banho”.

Visão do construtor

Hidromassagem…

O silenciador de hidromassagem é maravilhoso por amenizar os ruídos do motor durante o banho de ofurô.

Sem ruídos

“Tenho cuidados extremos quanto ao ruído, só admito a instalação de hidromassagem em locais que isso possa ser equacionado” alerta Will, que já desenvolveu seu próprio sistema de bico, completamente embutido e imperceptível no contato com a madeira.

“Fiquei encantado com o efeito da massagem mecânica, e essa experiência desafiou todos os meus pressupostos anteriores resultando em novas conquistas” relembra.

Visão do construtor

Manutenção das tinas…

“A manutenção do dia-dia sendo feita adequadamente não precisa, eu diria nada, de manutenção.

Basta cuidar da tina com a higiene necessária

. A água do banho tem várias impurezas, desde as visíveis: cabelos, ervas e epidermes (aqueles pontinhos brancos procedentes a escamação da pele que é renovada), até as toxinas invisíveis. Ao drenar a água as impurezas – que em geral flutuam – se depositam nas paredes das tinas. É muito pertinente e importante, passar uma toalha úmida nas paredes da tina após esvaziá-la.

Essa manutenção é muito simples e fácil, requer o mínimo de desempenho já que sua superfície é lisa e ultrapolida.

O Mínimo

Sem a limpeza depois do banho, as impurezas instaladas nas paredes voltarão com a próxima água.

Quando o uso de óleos aromáticos for excessivo, ela pode ficar gordurosa e escorregadia.

A sensação escorregadia é um sintoma de que ela precisa de limpeza.

E, caso a toalha não foi passada depois do último banho as impurezas podem secar nas paredes.

Nestas situações é necessário usar uma esponja abrasiva apropriada para ofurô que segue em cortesia junto a cada tina, assim a limpeza estará garantida.”

Visão do construtor

Recomendações de mestre…

Algumas recomendações do Will: A entrada da água eu nunca recomendo que seja feita por bica, quer dizer, uma torneira sobre ela que vai ficar sempre no caminho da cabeça e mais dia menos dia acaba dando uma topada, então, a água entra a 30 cm de altura dela, através de um registro simples e eficiente zelando a ergonomia.

Tem uma conexão por tubos flexíveis que habilitam a ligação no ponto hidráulico que é deixado na obra.

Este ponto hidráulico eu acompanho no projeto.

Planejamento

Os clientes me informam e faço questão de saber a inserção da tina no espaço.

De qualquer maneira, como quer que esteja o espaço, existe adaptação.

Se tiver uma situação que o proprietário não quiser mudar, é perfeitamente possível a adaptação da tina, inclusive no escoamento.

O ralo embaixo da tina não é a posição mais adequada, mas isso não impede seu funcionamento.

Visão do construtor

Pouca umidade…

A tina pode ser instalada em qualquer lugar, do quarto ao jardim.

Para ambientes expostos ao sol, as redondas se comportam melhor.

Não exige umidade

É interessante que exista um piso impermeável para o caso do transbordamento de água, quando as pessoas enchem demais a tina. A emanação de vapores é bem menor do que a de chuveiro ligado mesmo quando a água da tina está quente.

Visão do construtor

As madeiras das tinas…

As Tinas Will são confeccionadas em madeira, e a mais utilizada é o Cedro por ser aromático e resistente ação da água, depois o Feijó e o Bálsamo.

Segue um depoimento do Will, artífice, para complementar a resposta: “Já fiz tinas em madeiras como: carvalho, jacarandá-da-Bahia, canela-sassafrás, bálsamo e, principalmente cedro – escolhida por ser aromática e resistente ação da água.

Nobres

Durante o desenvolvimento do desenho, passei pelo processo de escolha da madeira e, entre todo o universo de madeiras disponível, eu fui buscar daquela que oferecia o melhor padrão.

Para, a partir daí eleger a madeira Standard. Hoje, tecnicamente superior no desenvolvimento, posso pensar em fazer tinas em eucalipto, mesmo já tendo feito em madeiras extremamente nobres como: o carvalho e o jacarandá; altamente aromáticas como: o bálsamo e a cabriúva e, ainda, posso partir para um arrojo das madeiras realmente reflorestadas.”